The Persuaders

 

Ficha-Técnica

Título: Persuaders (The Persuaders!/1971-72/R. Unido/Cor)
Elenco: Roger Moore (Brett Sinclair), Tony Curtis (Daniel Wilde) e Laurence Naismith (Fulton)
Tema de abertura: John Barry
Produtora: ITC
Formato: 24 episódios de 50 minutos em 1 temporada

O Início

Junte um astro de cinema que teve ótimos dias de galã. Junte outro ator que estrelou pelo menos duas bem sucedidas séries de tevê. Pois bem, o resultado só pode ser esse: Tony Curtis + Roger Moore = Persuaders.

Tony Curtis e Roger Moore

O nome de Tony Curtis dispensa comentários. Já figurou entre os mais belos rostos de Hollywood; estrelou vários clássicos cinematográficos; é pai de um talento chamado Jamie Lee Curtis, do casamento com a atriz Janet Leigh.

Roger Moore já estava na tevê inglesa na década de 50. Foi o protagonista da antiga série Ivanhoé e nos anos 60, apareceu com destaque em outro clássico da telinha: O Santo (The Saint). Aliás, foi por estar de contrato assinado para estrelar esse programa que Moore perdeu a chance de ser James Bond em 1962, quando se iniciou a produção da famosa série de espionagem.

Mas o mundo dá muitas voltas. No final dos anos 60, Moore e Curtis já não eram exatamente tão jovens. Já passavam dos 40 anos, quando surge a oportunidade na tevê inglesa de estrelarem uma série de ação.

Roger Moore seria o inglês Brett Sinclair e Tony Curtis, o americano Daniel Wilde. Ambos ricos, playboys e de bem com a vida, investigariam casos misteriosos não resolvidos pela polícia, obedecendo as ordens de um juiz aposentado chamado Fulton (vivido pelo ator Lawrence Naismith).

A fórmula pareceu boa e a série começou a ser produzida em 1971. Os resultados foram bem satisfatórios e The Persuaders! virou um enorme sucesso em muito pouco tempo.

A Série

A cada episódio, observa-se o contraponto entre os dois heróis. São pessoas de estilos totalmente opostos, mas que acabam virando grandes amigos. Wilde passa a maior parte dos episódios gozando com o estilo aristocrático de Sinclair, que por sua vez não vê nada de elegante nos deboches de Wilde. Em síntese: um fica gozando com a cara do outro o tempo inteiro!


A Ferrari vermelha de Danny Wilde e o
Aston Martin amarelo de Brett Sinclair

É dentro desse contexto que a série se desenvolve. Sempre há uma trama diferente entre os episódios. Os temas envolvem moedas de ouro falsificadas, procura por pessoas desaparecidas envolvidas em questões de herança, participações em uma corrida de automóveis para identificar um assassino, Sinclair acordando de manhã e descobrindo - embora não se lembrando - que se casou na noite anterior, Wilde comprando uma casa de campo na Inglaterra e descobrindo que seus vizinhos são estranhos etc.

Danny Wilde (Curtis) possui um veículo Ferrari vermelho e ridiculariza Brett Sinclair (Moore) por possuir "apenas" um Aston Martin amarelo. Wilde apelidou o Aston de Sinclair de "Penélope amarela". Em vários episódios, os carros marcam presença de maneira até então nunca vista na tevê.